domingo, 15 de junho de 2008

Retrato


Tenho lágrimas confusas que insistem em molhar-me o rosto, e por isso escrevo. na esperança, talvez, inocente de não pensar, de não reflectir, de não existir. desfilam na minha lembrança todas as memórias perdidas na minha existência. e em todas elas existe uma lágrima. ora uma lágrima desesperadamente infeliz ora uma lágrima tão límpida como o meu sorriso em dias tão risonhos como eu. segui um caminho. fiz escolhas. deixei para traz tantas promessas. deixei para traz tantos abraços. hoje choro. não sei se fiz bem, se fiz mal. sei que fiz e isso basta para sorrir e para chorar. não sei se vou reencontrar as pessoas que passaram a correr na minha vida, pessoas que saíram da minha vida bem antes da despedida. não sei se vou ganhar coragem de assumir o meu coração, se vou continuar a ser apenas eu quando escrevo. se ganhar coragem, dir-te-ei que te amo. eu sofro. mas sofro em silêncio, numa lágrima sufocada quando todos vão embora, e eu fico. fico na minha consciência. fico em mim, apenas eu. eu sofro num silêncio que doí, num silêncio que mata. sofro no meu silêncio. não sofro por sofrer durante um abraço fingido. sofro no momento exacto em que ninguém pode fingir um sentimento num abraço.

(e nesse momento choro por não ter um abraço sincero)

4 comentários:

Anónimo disse...

Gosto muito do teu blog... e consigo ver-me tambem naquilo que contas... Boa sorte para ti.. Valter

Elfo disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
Santa Fé disse...

O que quer que se passe consigo, cara poeta, desejo-lhe uma enorme sorte...

Não... Sorte não... Desejo-lhe uma enorme capacidade de enfrentar os seus problemas sem nunca se esquecer de quem é ou daquilo em que acredita...

Desejo também que continue a escrever tão sincera e realisticamente como esta confissão que aqui deixou...

E gostava de confessar, que também é um prazer para mim apreciar este seu recanto de luz, que certamente se distingue de outros tantos milhares de blogs, e no entanto lhe pertence só a si... Este blogue é você, e conhecermo-nos como você se tem vindo a conhecer, Andreia, através deste blogue... bem... isso é algo de extrema importância...

Por isso, e não me canso de o dizer... Parabéns...

Parabéns pela coragem...

Parabéns pela sinceridade, pela honestidade, pela humildade...

Parabéns por ser a excelente pessoa que é...

Todos somos poetas, mas você distingue-se...

Sinceros Cumprimentos,

Santa Fé

Maria disse...

O que doi, minha querida não é a lagrima, mas o motivo por que ela cai no nosso rosto.

A ti agradeço as palavras
fazem parte de ti...
e recordam-me uma
parte de mim!